segunda-feira, 19 de novembro de 2012

° O Grito de Edvard Munch

° O Grito de Edvard Munch

O Grito (no original Skrik) é uma série de quatro pinturas do norueguês Edvard Munch, a mais célebre das quais datada de 1893. A obra representa uma figura andrógina num momento de profunda angústia e desespero existencial. O plano de fundo é a doca de Oslofjord (em Oslo) ao pôr-do-Sol. O Grito é considerado como uma das obras mais importantes do movimento expressionista e adquiriu um estatuto de ícone cultural, a par da Mona Lisa de Leonardo da Vinci.
A série tem quatro pinturas conhecidas: duas na posse do Museu Munch, em Oslo, outra na Galeria Nacional de Oslo, e outra em coleção particular. Em 2012, esta última tornou-se a pintura mais cara da história a ser arrematada, num leilão, por 119,9 milhões de dólares.
fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Grito_(pintura)
Uma homenagem para esta obra visto pelo olhar de meus alunos na E.M. Valentim João da Rocha(Joinville/SC):

°Arte e Reciclagem

°Arte e Reciclagem
A reciclagem é o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. Muitos materiais podem ser reciclados e os exemplos mais comuns são o papel, o vidro, o metal e o plástico. As maiores vantagens da reciclagem são a minimização da utilização de fontes naturais, muitas vezes não renováveis; e a minimização da quantidade de resíduos que necessita de tratamento final, como aterramento, ou incineração.
O conceito de reciclagem serve apenas para os materiais que podem voltar ao estado original e ser transformado novamente em um produto igual em todas as suas características. O conceito de reciclagem é diferente do de reutilização.
O reaproveitamento ou reutilização consiste em transformar um determinado material já beneficiado em outro. Um exemplo claro da diferença entre os dois conceitos, é o reaproveitamento do papel.
Os resultados da reciclagem são expressivos tanto no campo ambiental, como nos campos econômico e social.
No meio-ambiente a reciclagem pode reduzir a acumulação progressiva de resíduos a produção de novos materiais, como por exemplo o papel, que exigiria o corte de mais árvores; as emissões de gases como metano e gás carbônico; as agressões ao solo, ar e água; entre outros tantos fatores negativos.
No aspecto econômico a reciclagem contribui para o uso mais racional dos recursos naturais e a reposição daqueles recursos que são passíveis de reaproveitamento.
No âmbito social, a reciclagem não só proporciona melhor qualidade de vida para as pessoas, através das melhorias ambientais, como também tem gerado muitos postos de trabalho e rendimento para pessoas que vivem nas camadas mais pobres.
Veja algumas produções com materiais reciclados:

segunda-feira, 16 de abril de 2012

º Paul Klee


Paul Klee (1879-1940)

Em Paul Klee a arte está ligada mais à essência do que à aparência das coisas. Portanto, a arte não representa o mundo, mas o apresenta, sendo o artista o elo entre o ser interior e o mundo que o envolve.
Klee passou boa parte de sua vida na Alemanha; freqüentou a Academia de Munique, onde descobriu a obra de pintores como Van Gogh, Cézanne e Ensor.

Lecionou, entre 1917 e 1930, na Bauhaus (Weimar e Dassau), onde com Kandinsky representava a vertente lírico - expressiva que teve de disciplinar para conciliar com a proposta construtiva, geométrica e arquitetônica da escola - um dos resultados dessa auto-disciplina são os Cadernos Pedagógicos (1925)- segundo eles, a linha em ação é a referência que guiou Klee pelas experiências visuais: por meio dela, estabelece correspondências com outros elementos geométricos, físicos, químicos e mesmo psíquicos, atribuindo-lhes valores simbólicos ao apelar para estímulos, sensações visuais como recursos ilustrativos; relaciona entre si linhas, sombras e cores, reforçando aqui, eliminando alí, para obter a sensação de equilíbrio ou correção, que para ele significava encontrar a presença da Forma-Cor ideal.

Em 1935 sofreu os primeiros sintomas da esclerodermia que mais tarde o mataria.
Klee deixou a Bauhaus pela Academia de Dusseldorf que, por sua vez, abandonou por determinação dos nazistas. Em 1937, o partido incluiria 17 de suas obras na exposição "Arte Degenerada".
Saiu da Alemanha e voltou à Suíça (Berna).

Nas pinturas dos últimos anos, predomina uma escala de cores mais escura, deixando emergir sua preocupação com forças malevolentes e temas de corrupção; o traço fica mais cheio e há o surgimento de uma forma de sátira mais mordaz.
Em geral, suas obras têm os traços delineados, deixando entrever leveza, harmonia e encantamento; a cor delicada parece antes o fruto do sonho ou da lembrança que da observação direta.Em todas as suas fases o tema se submete à forma, sem que o artista se limite, contudo, unicamente a ela: coloca em questão o tempo e o espaço, encontrando-os um no outro e transcrevendo-os na orquestração rítmica das linhas e dos mosaicos que elas geram.


segunda-feira, 5 de março de 2012

º Logotipo e Logomarca

Logotipo e Logomarca

 Entenda a diferença entre logotipo e logomarca.
Logotipo é uma marca composta apenas por letras ou pelo nome da empresa e logomarca tem um desenho, ou símbolo agregado, é mais trabalhada.

O LOGOTIPO é formado basicamente por nomes, podendo ter algum tipo de design em algumas das letras. Sendo assim, o LOGOTIPO é uma marca composta apenas por letras ou pelo nome da empresa.

A LOGOMARCA é a junção do nome com algum símbolo gráfico. Resumindo, a LOGOMARCA tem um desenho, ou símbolo agregado, é mais trabalhada.
 
 


domingo, 4 de março de 2012

° ARTE e MATEMÁTICA

ARTE e MATEMÁTICA

Criatividade, beleza, universalidade, simetria, dinamismo, são qualidades que frequentemente usamos quando nos referimos quer à Arte quer à Matemática. Beleza e rigôr são comuns a ambas. A Matemática tem um notável potencial de revelação de estruturas e padrões que nos permitem compreender o mundo que nos rodeia. Desenvolve a capacidade de sonhar! Permite imaginar mundos diferentes, e dá também a possibilidade de comunicar esses sonhos de forma clara e não ambígua. E é justamente esta capacidade de enriquecer o imaginário, de forma estruturada, que tem atraído de novo muitos criadores de Arte e tem influenciado até correntes artísticas. Como a história demonstra, a Matemática evolui muitas vezes por motivações de ordem estética. Como dizia Aristóteles"Os filósofos que afirmam que a Matemática não tem nada a ver com a Estética, estão seguramente errados. A Beleza é de fato o objeto principal do raciocínio e das demonstrações matemáticas", e Hardy afirmava que "O matemático, tal como o pintor ou o poeta, é um criador de padrões. Um pintor faz padrões com formas e cores, um poeta com palavras e o matemático com ideias. Todos os padrões devem ser belos. As ideias, tal como as cores, as palavras ou os sons, devem ajustar-se de forma perfeita e harmoniosa."
 
 
 
 
 
 
 
 
 

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

° Pedras no Caminho - Arte de Fotografar

 Pedras no Caminho
(Fernando Pessoa)

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
Mas não esqueço de que minha vida
É a maior empresa do mundo…
E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
Se tornar um autor da própria história…
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
Um oásis no recôndito da sua alma…
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “Não”!!!
É ter segurança para receber uma crítica,
Mesmo que injusta…
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo…