sexta-feira, 27 de agosto de 2010

° Reflexões para um mundo em crise

Reflexões para um mundo em crise
                                                                   por Luis Eduardo Matta

Vivemos num mundo louco. Disto, creio que poucos, ousam duvidar.
É um mundo insano, louco, aparentemente cada vez mais destituído dos valores mais elementares do convívio humano e que, aos poucos, vai perdendo seus traços de civilidade, tornando-se gradativamente um território selvagem onde imperam a falta de respeito, a violência, a intolerância, a ganância desenfreada e, mais especialmente, a ignorância, que se manifesta na nossa incapacidade de refletir e enxergar a realidade sob um prisma mais equilibrado.
Tenho pensado muito nisso ultimamente. Saio às ruas, observo a vida em movimento à minha volta e utilizo os pequenos flagrantes do cotidiano dos quais sou testemunha da condição humana atual e, dessa forma, lapidar e polir a minha própria percepção da vida.
É um exercício permanente em que ponho a prova as minhas convicções, desafio os meus preconceitos (quem não os tem?) na tentativa de amplificar a minha capacidade de compreensão da realidade e de aceitação das coisas como elas são, o que inclui a mim enquanto pessoa e, por extensão, aos demais.
Com isso, percebo que, a cada dia, me sinto mais plenamente "humano", me torno mais ciente da minha insignificância num planeta de bilhões de pessoas do qual eu, como todos, um dia irei desaparecer.
Num mundo como esse, a REFLEXÃO E ESSENCIAL, mas tem sido pouco praticada por pessoas de uma sociedade cada vez mais rápida e exigente, que nos ilude com o mito da liberdade e o avanço da modernidade. Essa modernidade que também deixa as pessoas bastante angustiadas, tensas, apressadas, egoístas, impacientes, doentes; invertem os valores, mutilam a ética, adulteram o caráter. É a sociedade do "salve-se quem puder" e do "cada um por si", onde vale tudo para sobreviver .
O tempo livre é escasso e, conseqüentemente, não cede espaço para a reflexão. O ato de refletir, que poderia ser o caminho para a redenção dessa sociedade enferma, simplesmente, não é praticado, senão por uma minoria.   
ATIVIDADE
Assim como o artista ANTONI MIRALDA, a estudante Tataiana Caroline karsten da turma 1V/2010, do SENAI Joinville fez uma reflexão sobre as diversidades do mundo através deste vídeo criativamente montado por ela. As reflexões com recortes e colagens de imagens, palavras reflexivas e outros teve o objetivo voltado para uma crítica social baseadi em dados ciêntificos.Segundo Bob Marley: "As guerras seguirão enquanto a cor da pele for mais importante do que a cor dos olhos."